Orgão da Casa de Trás-os-Montes e Alto Douro de Lisboa


NOVO !
Leia o nosso jornal (em pdf):



ARTIGOS MAIS LIDOS


Os Mais Insignes Judeus Transmontanos

Nordeste

Presentes de Natal Amargos

À Memória de Constantino, Trasmontano e Rei dos Floristas

A Emoção e a Razão


A CTMAD está na net

Acompanhe-nos no FACEBOOK


Compareça ! Participe !




Se ainda não é sócio
da nossa Casa

junte-se a nós!

Pela nossa região,
pela sua terra !


quota anual:
apenas 25 €






Peça a Revista
do Centenário


A história da nossa Casa,
pelo Dr. Armando Jorge.
Adquira já !
preço:10 €



Entrevista do Dr. Nuno Aires
ao Portugal no Coração



A Casa de Trás-os-Montes e Alto Douro e' a associação regionalista mais antiga de Lisboa. Foi fundada por alvara' régio de 1905.09.23. E' uma Pessoa Colectiva de Utilidade Pública, sem fins lucrativos.
E' Membro Honorário da Ordem do Infante D. Henrique.

Sede:
Campo Pequeno, 50 - 3º Esq., 1000-081 Lisboa.
Tel. 217939311 Fax 217939198
e-mail: ctmad.lisboa@gmail.com
NPC 500788863
NIB 003500010001305153056

Seja sócio da CTMAD fazendo o download da ficha:
Em formato PDF
ou
Em formato Word
e enviando-a devidamente preenchida.
Para débito directo preencha esta ficha.



<< December 2007 >>
Sun Mon Tue Wed Thu Fri Sat
 01
02 03 04 05 06 07 08
09 10 11 12 13 14 15
16 17 18 19 20 21 22
23 24 25 26 27 28 29
30 31

Edições anteriores

Marco 2007
Abril 2007
Maio 2007
Junho/Julho 2007
Setembro 2007
Novembro 2007
Dezembro 2007



SÍTIOS DA CASA

Casa de Tras-os-Montes e Alto Douro
CTMAD no FACEBOOK (novo !)
blog da CTMAD
CTMAD Cultura
Notícias de Trás-os-Montes e Alto Douro (wordpress)
Notícias de Trás-os-Montes e Alto Douro (blogspot)
Fotos CTMAD (Sapo)
Vídeos NTMAD (You Tube)
Trás-os-Montes e Alto Douro
Grupo Publico da CTMAD
Grupo dos socios da CTMAD



As nossas Festas


EVENTOS E ESTUDOS

III Congresso de TMAD
Nova Sede da CTMAD - a primeira pedra em Belém
Estudo Sobre o Crescimento e a Crise da Região
O associativismo regionalista transmontano

Festival de Gastronomia TMAD do Porto
Região Demarcada do Douro
Terra Olea (olivicultura)
Cão de Gado Transmontano
Gado Asinino
Viagem pelo Rio Sabor (I) - À procura da nascente
Viagem pelo Rio Sabor II - Da nascente à foz
Projecto Arqueológico da Região de Moncorvo
Centro de Estudos Antonio Maria Mourinho
Lhengua Mirandesa
Sítio de I Mirandés
DICIONARIO de Mirandês online
Mirandés Net
Froles Mirandesas
Al ciêntificu eilustradu
Al Balhe de la Baglina
VOCABULÁRIO Trasmontano
Retratos e Transfigurações
Genealogia (DGARQ)
Portuguese Genealogy (Candido)
Portuguese Genealogy (Holmes)
Cemiterio Judeu
Sephardim.com
Os Judeus em Trás-os-Montes
Arquivo Distrital de Bragança"
Arquivo Distrital de Vila Real
Arquivo Distrital da Guarda"
Arquivo Distrital de Viseu"
Catálogo geral de livros (UTAD)
Projecto Gutenberg
Domínio Público Brasileiro


MEDIA REGIONAIS

Região Transmontana TV online
TV de Barroso
Mirandela TV
Vila Real TV
Douro TV

Radios online

Radio Larouco

A Voz de Trás-os-Montes
A Voz do Nordeste
Diario de Tras-os-Montes
Douro Hoje
Folha D'Ouro
Jornal Nordeste
jornal o povo de barroso
Mensageiro Notícias
Notícias de Chaves
Noticias do Douro
Noticias do Nordeste
Noticias de Vila Real
O Cardo
Ribeira de Pena online
Semanário Transmontano
Terra Quente


PORTAIS TRASMONTANOS

BCD
Douronet
Espigueiro
Nordeste Digital
Trás-os-Montes
Zona Mais


Câmaras Municipais

Distrito de Bragança
Distrito de Vila Real
Distrito da Guarda
Distrito de Viseu


REGIÕES DE TURISMO

Alto Tâmega e Barroso
Douro Sul
Nordeste Transmontano
Serra do Marão


REINO MARAVILHOSO (I Parte)




ROTEIROS TURÍSTCOS

Rota da Castanha
Rota da Terra Fria
À Procura do Nordeste Transmontano
À Descoberta
Ansiães Aventura
Rio Tua
Ares da Minha Terra
Distrito de Bragança
Parque do Douro Internacional
Distrito de Vila Real
Boticas
Roteiros do Douro
Margem Esquerda do Douro
Margem Direita do Douro
Vista para o Douro
Douro Sul
Aldeias Vinhateiras (Douro)
As terras do Távora
Aldeias de Riba Côa
Gravuras de Foz Côa
Roteiro Vale do Côa e Além-Douro
Quinta da Erva Moira
Sabor a Douro
Rota dos Túneis
O Douro...nos caminhos da literatura
A boa vida de Marialva



REINO MARAVILHOSO (II Parte)




PAISAGEM E PATRIMÓNIO

Alto Douro Vinhateiro Património Mundial
Alto Douro Vinhateiro (fotos)
Arte Sacra na Diocese de Bragança
Barroso
Cerâmica Artesanal no distrito de Bragança
Vale do Côa e Alto Douro
Linha do Corgo
Linha do Douro
Linha do Sabor
Linha do Tua
Linha é Tua
Vale do Tua
Museu do Ferro
Património Arquitectónico Distrito de Bragança
Fotos do distrito de Bragança
Fotos do distrito de Vila Real
Fotos do distrito de Vila Real II
Fotos de Lamego
Fotos de S. João da Pesqueira


GRAVURAS DE FOZ CÔA




A NOSSA TERRA

Abrecovo
Adeganha
Aguas Frias
Aguas Vivas
Aguieiras
Alfandega da Fe
Algoso
Alijó
Arcas
Argemil da Raia
Argozelo
Argozelo II
Aveleda
Azibo
Barcos
Belver
Bemposta
Benlhevai
Bragado
Bruçô
Brunhoso
Cabril
Caçarelhos
Caçarelhos II
Cachão
Caldas de Aregos
Cambeses do Rio
Campeã
Campelos
Campo de Víboras
Cancelas
Candedo
Canedo
Carção
Carrazeda de Ansiães
Carviçais
Carviçais (forum)
Castedo (forum)
Castedo do Douro
Castelãos
Castelões
Castelo Branco
Celeirós do Douro
Chacim
Chaves
Chaves antiga
Coelhoso
Corujas
Dues Eigrejas
Eiras
Ervedosa
Especiosa
Fafião
Faiões
Favaios
Felgar
Felgueiras
Ferral
Fervidelas
Fiães do Rio
Fiolhoso
Fonte de Aldeia
Fontelonga
Frechas
Freixiel
Freixiel (freguesia)
Freixo de Espada-à-Cinta
Genísio
Gimonde
Gralhas
Grijó de Parada
Junqueira
Lagoaça
Lamalonga
Lamas de Podence
Lamego
Larinho
Larinho (blog)
Lavradas
Linharelhos
Loivos (Chaves)
Longroiva
Maçores
Marialva
Mazouco
Mesão Frio
Meixedo
Miranda do Douro
Miranda do Douro (Voilà)
Mirandela
Mogadouro
Mogos
Moimenta
Moncorvo
Montalegre
Montalegre (blog)
Morais
Mós (Foz Côa)
Mós-Douro.com
Mós do Douro
Mós (Moncorvo)
Mós (freguesia)
Murça
Ormeche
Ousilhão
Outeiro
Outeiro Seco
Padroso
Palaçoulo
Parada de Monteiros
Paradela
Paradela de Ansiães
Paradela de Monforte
Parambos
Parâmio
Paus
Peirezes
Pensalvos
Peredo dos Castelhanos
Picote
Pinhão
Pitões das Júnias
Pitões das Júnias (freguesia)
Pombal de Ansiães
Porrais
Prado Gatão
Provesende
Queimada
Rebordaínhos
Rebordaínhos (ASCRR)
Rebordelo
Ribeira de Pena
Ribeira de Pena (Terras de Pena)
Rio de Onor
Salselas
Salzedas
Sanfins do Douro
Santa Valha
Santalha
Santo Aleixo de Além-Tâmega
Santulhão
S. Joanico
S. João da Pesqueira
S. Mamede de Ribatua
S. Martinho de Angueira
S. Pedro dos Serracenos
S. Vicente da Raia
Segirei
Sendim
Serapicos (Vimioso)
Sernancelhe
Tabuaço
Tabuadelo
Tarouca
Torgueda
Torre de D. Chama
Tourencinho
Travancas
Trevões
Tua
Ucanha
Urrós (Mogadouro)
Uva
Valdigem
Vale de Anta
Vale de Figueira
Vale de Frades
Vale da Porca
Valença do Douro
Valpaços
Valpaços (Notícias)
Vidago
Vieiro
Vila Flor
Vila Real
Vila Verde da Raia
Vilar de Izeu
Vilar de Perdizes
Vilarinho de Agrochão
Vimioso
Vinhais
Vinhós
Zêdes
Zenízio


NORDESTE TRANSMONTANO



ARTE TRASMONTANA

Associação Amigos das Artes de TMAD
Antonio Afonso (Toninho)
Carlos Botelho
Balbina Mendes
António Pizarro
Eurico Borges
Graça Morais
José Augusto
Nadir Afonso
Rui Rodrigues
Peripécia Teatro
TEB
Teatro de Vila Real
Urze Teatro


MÚSICA TRASMONTANA

Banda de Música de Mogadouro
Banda de Música de Sanguinhedo
Banda de Música de Vilarandelo
Caramonico
Caretos de Podence
Caretos de Salsas
Concertinas de Lamego
Federação Transmontano Duriense de Bandas Filarmónicas
Galandum Galundaina
Guitarras de Portugal
La Çaramontaina
Lenga Lenga
Mar de Pedra
Pica Tumilho
Grupos de Pauliteiros de Miranda
Pauliteiras de Valcerto
Pauliteiros de Miranda do Douro
Pauliteiros de Miranda (Lisboa)
Rancho Folclórico Flor d!Aurora
Rancho Folclórico da Casa do Povo de Godim
Rancho Folclórico de Guiães
Rancho Folclórico de S. Tiago (Mirandela)
Rancho Folclórico de Vila Real
Rancho Folclórico de Vimioso
Zés Pereiras de Castedo do Douro


CANTORES TRASMONTANOS

Adelia
Emanuel
Roberto Leal

referências

OUTROS LINKS

If you want to be updated on this weblog Enter your email here:



rss feed



2007.12.29
PRESENTES DE NATAL AMARGOS

Na véspera da consoada, cerca de duzentas pessoas manifestaram-se em Alijó contra o encerramento, a partir do dia 28 de Dezembro, do SAP durante o período nocturno.

Diz a Câmara Municipal, em comunicado, que a saúde é um bem essencial e, por isso, defende o SAP do Centro de Saúde aberto 24 horas por dia, não admitindo mais uma medida do Governo que, a concretizar-se, prejudicará os interesses do concelho de Alijó e das suas populações.

O presidente da câmara local, Artur Cascarejo, considera que, "se o SAP encerra por ser um serviço sem qualidade, então o Governo tem que criar contrapartidas que, na sua opinião, passam pela criação de uma urgência básica no concelho".

"Na sede do concelho, em Alijó, estamos a 47 quilómetros do hospital de Vila Real mas há aldeias do concelho que estão a mais de uma hora de distância da unidade hospitalar mais próxima", sustentou.

"Esta decisão é para o melhor das populações. Em Anadia e Alijó, os serviços que vão encerrar não reuniam as condições adequadas a um serviço de urgência", disse à Agência Lusa fonte do ministério da Saúde.

Aos jornalistas, Correia de Campos desvalorizou as críticas do bastonário em exercício da Ordem dos Médicos que alertou para o "risco de casos fatais se forem colocadas no terreno ambulâncias e helicópteros de emergência sem um médico".

Para além do SAP de Alijó, até ao final do ano, fecham, ainda, os SAP de Vila Pouca de Aguiar e Murça, o serviço de urgência da Régua e o bloco de partos de Chaves.

Não se compreendem os motivos para que estes encerramentos não sejam anunciados com a devida antecedência e discutidos e explicados às populações. Os encerramentos anunciados sistematicamente, em cima da data da sua execução, deixam transparecer um exercício autocrático e autista do poder que, quiçá, pretende evitar a reacção dos cidadãos.

Será que a democracia não exige a participação dos cidadãos na vida pública, para além dos actos eleitorais?

Não poderiam, durante um período de transição adequado, os novos sistemas de urgência serem implementados em simultâneo com os antigos, só sendo desactivados quando os novos estivessem a funcionar em pleno ?

Certamente que o Ministério da Saúde vai poupar mais uns euros. Mas à custa de quê ? Da diminuição dos cuidados de saúde da população local, já de si envelhecida, e que tem resistido à diáspora?

"Promover o bem-estar e a qualidade de vida do povo e a igualdade real entre os portugueses" e "promover o desenvolvimento harmonioso de todo o território nacional" são tarefas fundamentais do Estado consignadas na Constituição da República Portuguesa.

Não é a reduzir ou a encerrar serviços públicos que se promove a igualdade de direitos dos portugueses.

O facto de um cidadão do interior do país demorar "a priori" muito mais tempo a ser socorrido que um cidadão das grandes cidades, conduz-nos inevitavelmente a existência de duas classes de cidadãos e a que, consequentemente, os "resistentes" sejam forçados, também, a emigrar para as grandes cidades. Mesmo que - como num rebate de consciência - se anunciem incentivos fiscais às empresas (e até aos cidadãos) para que se fixem no interior.

O encerramento descoordenado de serviços de saúde, escolas e outros serviços públicos, potenciado pelo PRACE*, é uma medida que pode reduzir no imediato o deficit das contas públicas - e mostrar que os decisores políticos nacionais são bons guarda-livros e arautos entusiasmados de Bruxelas - mas nunca será uma medida de política económica consequente e terá custos elevadíssumos a médio e a longo prazo que merecem ser avaliados.

As declarações públicas dos responsáveis pela reforma do Estado vão no sentido do regresso aos primórdios da monarquia, mantendo na Administração Pública central apenas a cobrança de impostos, a segurança, a justiça e a política externa. O resto, como não dá lucro material ou político, reduz-se ou extingue-se. E só haverá serviços do Estado onde houver mais pessoas (e forem rentáveis). Os "oásis" estarão nas grandes cidades.

A ser assim, e com a lógica do deficit a sobrepor-se à lógica dos direitos fundamentais e do bem estar dos cidadãos, é inevitável presumir que os números comandam a política interna e que esta é ditada do exterior. Tal como no tempo de Miguel de Vasconcelos, nos anos que precederam a restauração da independência, em 1640.

_______________________________________
*Programa de Reestruturação da Administração Central do Estado


Posted at 07:52 by ntmad

 

Leave a Comment:

Name


Homepage (optional)


Comments




Previous Entry Home Next Entry

© 2007 Casa de Trás-os-Montes e Alto Douro (CTMAD). O material noticioso aqui apresentado apenas poderá ser utilizado mediante acordo prévio da CTMAD e dos seus autores. Para mais informações poderá contactar-nos. A edição online pode não conter a totalidade da edição em papel mas apenas alguns artigos.